Notícia

Dia internacional de luta contra os agrotóxicos

logo_em_alta

Hoje, dia 3 de dezembro é lembrado no mundo inteiro como dia internacional de luta contra os agrotóxicos. A data se refere à tragédia de Bhopal, na Índia, quando uma fábrica de agrotóxicos explodiu em 1984, matando cerca de 20 mil pessoas, e deixando centenas de milhares feridas e com sequelas.

No Brasil, diversas atividades foram programadas pela Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida, que é uma articulação entre entidades e movimentos, iniciada em 2011. A campanha tem o objetivo de “sensibilizar a população brasileira para os riscos que os agrotóxicos representam e anunciar um novo modelo de produção de alimentos baseado na agroecologia”.

A quantidade de agrotóxico utilizada por área plantada no Brasil mais do que dobrou de 1992 para 2010, passando de 70 kg por hectare para mais de 150 kg por hectare, segundo o relatório Indicadores de Desenvolvimento Sustentável – Brasil 2012, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No Brasil, foram usadas 914 mil toneladas de agrotóxicos em 2014, gerando uma receita de U$12,2 bilhões para a indústria de agrotóxicos, composta em sua maioria por empresas estrangeiras. Os dados são do Sindiveg, sindicato que representa a indústria dos agrotóxicos. Já o Ministério da Saúde registrou oficialmente mais de 34.000 intoxicações por agrotóxicos entre 2007 e 2014. No entanto, especialistas afirmam que este número pode ser 50 vezes maior, devido ao alto índice de subnotificações. A Anvisa detectou no último estudo que 64% dos alimentos analisados tinham resíduos de agrotóxicos. Segundo a Campanha Contra os Agrotóxicos, em 2014 foram consumidos 7,3 litros de agrotóxicos para pessoa no Brasil. Há suspeitas de que o Herbicida 2,4-D está Ligado ao Surto da microcefalia no Nordeste do País.

Sobre o Pronara

O Programa de Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pronara) foi aprovado em agosto de 2014, como parte da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, após meses de elaboração de um grupo de trabalho formado por diversos especialistas, vinculados a instituições de pesquisa e ensino, nove ministérios e organizações da sociedade civil. No total, são previstas 137 ações concretas que visam frear o uso de agrotóxicos no Brasil. Dentre elas, medidas como o fim da isenção fiscal, implantação de zonas livres de agrotóxicos e transgênicos e a reavaliação de produtos banidos em outros países.

12308737_807899965988175_1461015710350904438_n

Sobre a COP 21

Desde a semana passada está acontecendo em Paris a 21ª Conferência das Partes, a COP-21, juntamente com a 11ª Reunião das Partes no Protocolo de Quioto (MOP-11). A COP é uma mobilização internacional em favor da sustentabilidade, em sua programação também estão incluídas diversos debates dobre a redução do uso de agrotóxicos.

A COP21 busca alcançar um novo acordo internacional sobre o clima, aplicável a todos os países, com o objetivo de manter o aquecimento global abaixo dos 2°C. A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) foi adotada durante a Cúpula da Terra do Rio de Janeiro, em 1992, e entrou em vigor no dia 21 de março de 1994. Ela foi ratificada por 196 Estados, que constituem as “Partes” para a Convenção.

Esta Convenção-Quadro é uma convenção universal de princípios, reconhecendo a existência de mudanças climáticas de origem humana e dando os países industrializados a maior parte da responsabilidade para combatê-la.

Protestos contra o uso de Agrotóxicos

Hoje já ocorreram diversos protestos contra o uso dos agrotóxicos no Brasil. Representantes de movimentos sociais e populares do campo protestaram esta manhã contra o uso indiscriminado de agrotóxicos – que para eles têm a ver com o aumento no número de casos de microcefalia – e pela saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em frente ao Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

O ato ocorre durante a 15ª Conferência Nacional de Saúde e contou com uma encenação de mortes por causa do uso de agrotóxicos.

Sobre a agroecologia

A agroecologia surgiu como uma alternativa para enfrentar os problemas gerados pelo modelo de agricultura convencional industrial estabelecido com a revolução verde, especialmente os monocultivos agrícolas, responsáveis pela diminuição da biodiversidade dos sistemas naturais. De modo mais simples, a agroecologia pode ser definida como a aplicação dos princípios ecológicos para o entendimento e desenvolvimento de agroecossistemas sustentáveis, estabelecendo relações entre produção e consumo capazes de encarar a crise ecológica e social.

Aqui no Território Litoral Sul existem diversas organizações e pequenos produtores que utilizam a agroecologia para produzir alimento saudável e consciente, semanalmente acontecem feirinhas onde são comercializados esses alimentos, facilitando o acesso a essa produção benéfica e saborosa, que otimiza o funcionamento do nosso corpo e, consequentemente, da nossa mente.

2 Responses

  1. Paulo Andrade

    Gostaria de esclarecer aos leitores que a acusação de que o herbicida 2,4-D seria o causador de microcefalias é infundada, irresponsável e desrespeitosa aos pais de crianças nascidas com este problema. O 2,4-D é um herbicida muito usado na agricultura faz mais de 20 anos, não há qualquer evidência de que ele possa causar este tipo de problemas em mamíferos e a epidemiologia da microcefalia não fecha de jeito nenhum com o uso do 2,4-D. O site Notícias Naturais lançou esta hipótese fantasiosa e os que odeiam agrotóxicos embarcaram nela, sem investigar nada e sem pensar no impacto que isso tem nas famílias que tiveram crianças com microcefalia e em todas as grávidas do Nordeste, em particular, e do Brasil. Afinal, quem pode saber onde está sendo aplicado este herbicida, que é até usado em jardins? Como saber o que vem pelo alimento, ainda que o 2,4-D nunca tenha sido detectado nas muitas investigações feitas pela ANVISA? Isso cria um sentimento de medo e outro de culpa, que não estão apoiados em nada real, mas na oposição cega aos agrotóxicos e aos transgênicos (aí está o cerne desta barafunda informacional). Uma vergonha para o blog Notícias Naturais, para quem escreveu o texto e para os que espalham este boato cruel e irresponsável.

Leave a Reply