Notícia

INI discute ações para Semana de Mobilidade com secretarias municipais

Foto: Tacila Mendes

Com objetivo de articular as atividades que acontecerão entre os dias 16 e 22 de setembro – Semana da Mobilidade – o Instituto Nossa Ilhéus (INI) se reuniu com equipe das Secretarias de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes) e de Infraestrutura Transporte e Trânsito, nesta segunda-feira (07). Este primeiro encontro com o poder público é parte da execução do Projeto União Europeia: Orçamento e Direito à Cidade – Fortalecimento e Organizações da Sociedade Civil para Monitoramento e Incidência na Política de Mobilidade Urbana.

 

Durante a Semana da Mobilidade, o INI capitaneará diversas atividades que contemplam debates e ações para ocupar o centro histórico da cidade. Já as secretarias municipais realizarão atividades conjuntas, a fim de educar pedestres e condutores de veículos. Organizações da sociedade civil, instituições de ensino superior, escolas e a população em geral serão mobilizados para discutir experiências de viver a cidade. A programação completa será divulgada em breve.

 

O encontro, que aconteceu na Seplandes, reuniu o vice-prefeito e titular desta Secretaria, José Nazal Pacheco Soub; a presidente do INI, Maria do Socorro Mendonça; o supervisor do Núcleo de Projetos da Seplandes, Alexandre Amorim; o gerente de Controle e Uso do Solo, Arthur Valente; o diretor de Trânsito, Gilvan Nascimento; o gerente de Fiscalização e Ações Táticas da Sutrans, Rogério Buralho; a gerente de comunicação do Instituto, Tacila Mendes; a consultora de projetos, Marília Arruda; e o repórter do Portal I’Midia, Jonathan Souza.

 

Projeto Orçamento e Direito à Cidade – Visa o fortalecimento de Organizações da Sociedade Civil para que monitorem e incidam na Política de Mobilidade Urbana. O projeto, que contempla Ilhéus e mais nove cidades brasileiras, busca a regulamentação do transporte como direito social e a elaboração do plano de mobilidade dos municípios. Todas as etapas, que ao todo durará um ano, terá participação da sociedade civil organizada no monitoramento do orçamento, avançando para uma política de mobilidade mais sustentável e participativa.

Leave a Reply