Notícia

Cidades em Rede: Planejamento de Comunicação da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis

encontro rede brasileira de cidades sustentaveis comunicao

Em Abril de 2015, o Instituto Nossa Ilhéus participou em Brasília do Planejamento de Comunicação da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis, com objetivo de planejar a estratégia de comunicação interna e externa da rede, além de estreitar os laços de cooperação. Estavam presentes os representantes da Nossa Brasília, Nossa Betim, Observatório do Recife, Nossa Belém, Rede Nossa São Paulo, Instituto Ilhabela Sustentável, Movimento Nossa São Luís e o INI.

A Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis foi lançada em 2008 e é composta por organizações apartidárias e inter-religiosas e está aberta a novas adesões. O objetivo é a troca de informações e conhecimentos entre os integrantes para promover o aprendizado mútuo, o apoio e o fortalecimento de cada experiência local. Desde 2012 o INI faz parte da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis, articulação composta por mais de 30 cidades que possuem movimentos estruturados que compartilham objetivos comuns, tal como o acompanhamento de políticas e orçamentos públicos por meio de indicadores e pesquisas de percepção da população, além de outras ações.  A necessidade de compartilhar as boas práticas dos movimentos e auxiliar naquelas que ainda não estão sendo realizadas, de forma a atender as metas da comunicação e da organização. Conforme avaliação realizada pela própria equipe de comunicação da Rede, percebe-se que a maioria dos Movimentos ainda está em fase de estruturação da comunicação.

“Hoje, não se sabe falar porque já não se sabe ouvir.” (Jules Renard)

Atualmente, a comunicação é vista como uma teia de aranha – comunicamos ao mesmo tempo com diversas pessoas, de culturas e estilos distintos – e recebemos o retorno dessa comunicação, assim como essas pessoas repassam – da forma como entenderam para outras pessoas. O processo da comunicação deve ser uma construção, um relacionamento saudável entre os públicos que afetam ou são afetados direta e indiretamente pelas instituições. E preciso romper com o modelo de emissor- receptor. Entre esses extremos existe uma mensagem que precisa ser fácil, atraente e necessária. Além disso, temos a interação entre os comunicantes, a era do feedback. O excesso de informação, melhor utilidade dos meios, também são sintomas da nossa era comunicacional.  Por isso, a integração dos movimentos é importante ao possibilitar compartilhar os desafios e sucessos da comunicação do terceiro setor. Vamos juntos!

Quer ter acesso ao relatório completo do Encontro de Planejamento de  Comunicação da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis? Acesse:

Relatório Planejamento de Comunicação da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis

Em rede, nos entendemos melhor!

Leave a Reply